Segunda, 02 de Agosto de 2021 12:03
Política Polêmica

Relator da CPI da covid-19 nega negligência da prefeitura na pandemia em Itajubá

Após relatório de Sebastião Silvestre (MDB), vereadores decidiram prorrogar prazo da CPI para rever texto

22/07/2021 18h54 Atualizada há 5 dias
136
Por: Redação
Relatório da CPI da covid-19 aponta que não houve responsabilidade da prefeitura na crise da pandemia (Foto: Câmara Municipal)
Relatório da CPI da covid-19 aponta que não houve responsabilidade da prefeitura na crise da pandemia (Foto: Câmara Municipal)

O relator da CPI da covid-19 em Itajubá, Sebastião Silvestre (MDB), negou que tenha havido omissão, negligência ou falha da prefeitura ou das instituições hospitalares no enfrentamento à pandemia, mesmo com a cidade tendo alcançado a marca de quase 400 óbitos pela doença e ter sido, durante certo tempo, o município com mais óbitos pela covid-19 no Sul de Minas.

Em outro caso polêmico, prefeito Christian Gonçalves (DEM) e o vice e secretário de Saúde, Nilo Baracho (Republicanos), defenderam o uso do tratamento precoce, que não tem comprovação científica. 

O relatório final é fruto das reuniões da CPI realizada nos últimos meses, e que ouviu representantes da administração municipal, dos hospitais e pesquisadores sobre o combate à pandemia em Itajubá. O texto final desagradou parte da comissão.

O membro da CPI, Pedro Gama (PV), defendeu que a prorrogação do prazo da comissão fosse aprovada pelos parlamentares para que o relatório final fosse melhor avaliado. A proposta foi aprovada por unanimidade e a CPI terá duração de mais 90 dias.

“Em minha análise do relatório elaborado, mencionei alguns pontos que merecem melhor avaliação, como, por exemplo, a forma de credenciamento dos leitos, a restrição do atendimento no pronto-socorro, alguns gastos públicos, bem como a fiscalização das medidas restritivas”, disse o parlamentar.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias