Segunda, 02 de Agosto de 2021 11:33
Variedades Olimpíadas

De Brazópolis, Debinha afirma que foco da Seleção Feminina é ganhar o Ouro

Seleção Feminina de Futebol conquistou duas pratas nas Olimpíadas de 2004, em Atenas, e em 2008, em Pequim

22/07/2021 19h04
196
Por: Redação
 Atacante da Seleção Brasileira Feminina de Futebol afirma que objetivo é alcançar o ouro (Foto: Agência Brasil)
Atacante da Seleção Brasileira Feminina de Futebol afirma que objetivo é alcançar o ouro (Foto: Agência Brasil)

A cidade de Brazópolis (MG) contou as horas para madrugar na quarta-feira (21) diante da tevê para assistir a vitória da seleção brasileira feminina de futebol contra a China, na Olimpíada de Tóquio (Japão), por 5 a 0.

O jogo aconteceu às 5h (horário de Brasília), no Miyagi Stadium, em Sendai.  Entre as titulares em campo, estava a atacante Debinha, de 29 anos, nascida e criada na cidade mineira de pouco mais de 15 mil habitantes, segundo o Censo do IBGE (2010).

“Tá todo mundo empolgado lá, a cidade está em festa. Brazópolis sempre me apoiou e teve um carinho enorme por mim e acho que isso me motiva cada vez mais de estar aqui [na Olimpíada], de representar a minha cidade, de levar o ouro para o Brasil e para Brazópolis”, disse a artilheira da seleção, desde que a treinadora suíça Pia Sudnhage assumiu o comando técnico da equipe, há quase dois anos.

A atacante que estreou em Olimpíadas na Rio 2016 - na ocasião atuou como meio-campo - enxerga mudanças estruturais no futebol da seleção, desde a edição realizada no país.

“Hoje a gente vê a organização tática muito diferenciada do era antes. O individual vai aparecer quando for preciso. Acho que todo mundo comprou a ideia que a Pia trouxe para a gente, é uma escola diferente e acho que ajudou muito na evolução da equipe. Acredito que a gente vá fazer uma ótima campanha”, analisou a jogadora durante coletiva, antes do penúltimo treino desta segunda-feira (19), nesta segunda-feira (19), no Izume Soccer Field, em Sendai, cidade a 320 km de Tóquio.

Confiante no trabalho desenvolvido por Pia - campeã olímpica em 2008 e 2016 -  e no consolidação do futebol feminino no Brasil, Debinha não duvida do potencial da seleção para subir no degrau mais alto do pódio. O país busca o ouro inédito na futebol feminino olímpico. Até o momento, a modalidade conquistou duas pratas: em 2004, nos Jogos de Atenas (Grécia) e em 2008, em Pequim (China). Na Rio 2016, a seleção terminou na quarta posição.

“Hoje nosso foco é ganhar o ouro e coroar as gerações que passaram aqui, mas também pensando na geração nova que está por chegar, e claro, sempre pensando na evolução do esporte no país”, completou.

No treino tático nesta segunda (19), penúltimo antes da estreia contra a China, Pia priorizou treinamento 5x5, exercício que aprimora a posse de bola, com destaque no apoio à construção de jogadas ofensivas. Na sequência, a seleção trabalhou no esquema 11x11 em campo reduzido, e por fim, a equipe treinou jogadas paradas e finalizações.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias