Sexta, 14 de Maio de 2021 23:14
Polícia Crime

Ex-secretário de Defesa Social de Itajubá é suspeito de cobrar propina para cancelar multas

Ele seria uma das pessoas envolvidas em esquema de propina para dar baixa em multas de trânsito

20/04/2021 09h56 Atualizada há 3 semanas
1.469
Por: Redação
Operação também investiga crimes de corrupção ativa e passiva para a compra da carteira de motorista (Foto: Polícia Civil)
Operação também investiga crimes de corrupção ativa e passiva para a compra da carteira de motorista (Foto: Polícia Civil)

Um ex-secretário de Defesa Social da gestão do ex-prefeito Rodrigo Riera (MDB) é investigado por suspeita de corrupção em Itajubá. Ele é considerado suspeito de participar de um esquema em que multas de trânsito seriam canceladas em troca de pagamento de propina. 

A acusação é fruto da operação “Sentido Obrigatório”, deflagrada pela Polícia Civil, que cumpriu 16 mandados de busca e apreensão e cinco de prisão temporária nas cidades de Itajubá, Maria da Fé e Belo Horizonte, na manhã desta segunda-feira (19). 

A operação também investiga crimes de corrupção ativa e passiva para a compra da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Segundo a Polícia Civil, entre os presos estão dois proprietários de autoescolas, um de Itajubá e outro de Belo Horizonte, e um instrutor de Itajubá. 

Alguns dos responsáveis pela venda de habilitações na cidade foram integrantes da Junta Administrativa de Recursos de Infrações de Itajubá (JARI). Eles negociariam a baixa de multas mediante pagamento de dinheiro. Na investigação, foi identificado o envolvimento de outras duas pessoas, sendo, uma delas, o ex-secretário de Defesa Social de Itajubá.

Os mandados de busca foram cumpridos nas casas das pessoas que compraram habilitação sem o cumprir dos trâmites legais e também em residências de instrutores da autoescola investigada em Itajubá.

A operação contou com 40 policiais civis de Itajubá, Cristina, Pedralva e Paraisópolis, também no Sul de Minas, e com 12 policiais da equipe da Delegacia de Homicídios de Belo Horizonte. As investigações continuam para identificar outros envolvidos. Os suspeitos foram encaminhados para o Presídio de Santa Rita do Sapucaí, para medidas de prevenção à covid-19.

Começo da operação 

Um instrutor de autoescola foi preso no dia 10 de fevereiro por venda de habilitação em Itajubá. Segundo a Polícia Civil, o suspeito aliciava candidatos que pretendiam tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), com a promessa de que a aprovação seria facilitada. 

De acordo com os policiais, o suspeito encaminhava o candidato para fazer a prova em Belo Horizonte e vendia o documento por até R$ 7 mil reais. Além da venda realizada na capital mineira, o instrutor prometia facilitar a aprovação do exame em Itajubá. Nessa outra modalidade de crime, estelionato, ele realizava a “trucada”, um blefe, em que cobrava cerca de R$ 2 mil reais do aluno.

A Polícia Civil começou a investigação após um candidato, que havia sido reprovado quatro vezes no exame de rua, fazer a denúncia para os investigadores, depois de receber a proposta de venda de habilitação pelo instrutor.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias