Sexta, 25 de Junho de 2021 04:26
Política Itajubá

Vereadores aprovam, em primeiro turno, lei da transparência da vacinação

Texto tem como objetivo coibir ação de fura-filas na vacinação contra a covid-19 durante a pandemia

18/05/2021 20h46 Atualizada há 1 mês
235
Por: Redação
Vereadores aprovaram, em primeiro turno, lei que obriga divulgação de lista de vacinados em Itajubá (Foto: Câmara Municipal)
Vereadores aprovaram, em primeiro turno, lei que obriga divulgação de lista de vacinados em Itajubá (Foto: Câmara Municipal)

Vereadores aprovaram, em primeiro turno, o Projeto de Lei que obriga a prefeitura de Itajubá a divulgar a lista de vacinados contra a covid-19. O texto, de autoria dos vereadores Andressa Dayane (PT) e Markinhu Meirelles (PSD) tem como objetivo coibir ação de fura-filas na imunização durante a pandemia.

Votaram a favor os autores do texto, Pedro Gama (PV), Silvo Vieira (PV) e Marcelo Krauss (Progressistas). Contra a iniciativa, votaram Tenente Melo (Republicanos), Rafael Rodrigues (DEM), Chiquinho do Euzébio (PTB), Sebastião Silvestre (MDB) e Kener Maia (PL). O voto de minerva a favor foi do presidente da Câmara Municipal, vereador Robson Vaz (PSDB).

O texto foi motivo de polêmica entre os parlamentares. Vereadores da oposição acusaram os vereadores Tenente Melo (Republicanos) e Rafael Rodrigues (DEM), que fazem parte da Comissão de Constituição, Legislação e Redação, de tentar atrasar o trâmite do texto, impedindo sua votação em plenário. 

Mesmo após o parecer positivo da comissão, os dois parlamentares requereram uma reanálise do texto. O pedido chegou a ser recusado pelo presidente da Câmara, Robson Vaz (PSDB). Entretanto, o presidente do Legislativo acabou cedendo e permitiu uma nova análise do projeto, que acabou recebendo, de novo, parecer positivo. 

O Projeto de Lei tem apoio dos vereadores de oposição, que consideraram a manobra dos dois parlamentares da Comissão de Constituição, Legislação e Redação uma atitude contra o regimento interno da Câmara Municipal.

Com a decisão a favor do projeto, o texto precisa ser aprovado em segundo turno pela maioria dos parlamentares, para ser sancionado pelo prefeito Christian Gonçalves (DEM).

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias